29 julho

UIA adota o português como idioma oficial

A proposta foi feita pelo Conselho Internacional de Arquitetos de […]

A proposta foi feita pelo Conselho Internacional de Arquitetos de Língua Portuguesa (CIALP), na Assembleia Geral da União Internacional de Arquitetos (UIA) no Rio de Janeiro, em 22 de julho. Por 179 votos favoráveis, contra 47 contrários, e com 54 abstenções, foi aprovada a adoção do português como língua oficial pela UIA.

A moção apresentada pelo CIALP tinha o endosso de representações de arquitetos em cinco países: Angola (OAA), Brasil (IAB), Cabo-Verde (OACV), Macau (AAM) e Portugal (OA).

Para o presidente do CIALP, Rui Leão, “a aprovação permitirá aos mais de 250 mil arquitetos que usualmente se comunicam em português de estarem mais próximos da comunidade mundial de arquitetos e serem mais atuantes no palco internacional”.

O CIALP argumentou que a língua portuguesa é falada por mais de 290 milhões de pessoas, nos quatro maiores continentes, sendo atualmente o quinto idioma mais falado no mundo. Está presente em quatro das cinco regiões que a UIA agrega.

“Somos mais de 250 mil arquitetos, falantes de Português, ou seja, cerca de 18% dos arquitetos existentes no mundo”, comenta Rui Leão, lembrando que arquitetos lusófonos já foram distinguidos com quatro Prêmios Pritzker e uma Medalha de Ouro da UIA.

A moção destacou ainda que a língua portuguesa é uma das línguas oficiais de organizações internacionais como a União Europeia, o Mercosul, a União Africana e a União dos Estados Americanos e que, assim, a sua adoção pela UIA é mais um motivo de prestígio para a instituição.

Também foi argumentado que grande parte dos arquitetos lusófonos no mundo não são proficientes em inglês ou francês. E que o português é a língua oficial em nove países ou territórios (Angola, Brasil, Cabo Verde, GuinéBissau, Macau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste) onde quase todas as agências governamentais, instituições e escolas usam apenas a língua portuguesa.

 

Histórico

O CIALP, representando oito organizações nacionais e duas regionais dos arquitetos de língua portuguesa, já havia proposto que a língua portuguesa se tornasse uma língua de trabalho da UIA na Assembleia Geral da Associação em Tóquio, em 2011.

Em 2016, o presidente do 26º Congresso Mundial da UIA, Jong Ruhl Hahn, aceitou sugestão do CIALP e incluiu o português como língua oficial no site do UIA2017Seul, visando ampliar a divulgação do evento nos países lusófonos, assim como levar informações do UIA2020RIO ao país asiático. Na ocasião, Hahn afirmou: “a língua é uma barreira que impede a aproximação das seções membros da UIA”. CIALP e CAU-BR contribuíram na tradução de conteúdos para o site.