28 julho

Barcelona, Capital Mundial da Arquitetura em 2026

Cidade venceu Pequim e sediará o 29º Congresso Mundial de […]

Cidade venceu Pequim e sediará o 29º Congresso Mundial de Arquitetos

Barcelona será a Capital Mundial da Arquitetura em 2026. Concorrendo com Pequim, na Assembleia Geral da União Internacional de Arquitetos (UIA), realizada nesta quarta-feira, 28 de julho, a cidade foi a escolhida para sediar a 29ª edição do Congresso Mundial de Arquitetos, daqui a cinco anos.

Barcelona já foi sede do Congresso da UIA em 1996. Na ocasião, o evento reuniu mais de 9 mil participantes, de 87 países, e teve grande repercussão internacional.

Para 2026, a proposta de candidatura da capital catalã, com o lema “Um hoje, um amanhã”, enfatiza o papel da arquitetura no desenvolvimento sustentável das cidades e sua resposta aos novos desafios urbanos. Além do Congresso Mundial de Arquitetos, está prevista a realização de muitos eventos paralelos – culturais e multidisciplinares – associados ao tema da Arquitetura e do Urbanismo.

A candidatura de Barcelona conta com o apoio da Generalitat de Catalunya, da Câmara Municipal de Barcelona, ​​do Conselho Superior das Associações de Arquitectos de Espanha e da Ordem dos Arquitectos da Catalunha, bem como do Ministério dos Transportes, Mobilidade e Agenda Urbana.

Para saber mais sobre a candidatura, acesse:

https://uia2026barcelona.com/wp-content/uploads/2021/07/UIA_BARCELONA2026_DEFINITIU-1.pdf

 

E assista o vídeo:

 

 

Do Plano de Cerdà à Cidade Cuidadora

Neste momento em que o Covid-19 assola o mundo e exige profunda reflexão sobre o desenvolvimento urbano, Barcelona nos recorda sua experiência no século XIX. Foi justamente para controlar epidemias que se deu o planejamento urbano moderno da cidade. Muros foram demolidos em 1854 e um novo bairro foi planejado como piloto para uma cidade higiênica e funcional, que permitisse condição de igualdade entre todos.

Arquiteto e engenheiro, Idelfons Cerdá foi o autor do plano que redesenhou Barcelona, imprimindo uma geometria de ruas paralelas e perpendiculares, quadras idênticas octogonais, abrigando pequenas praças e parques.

Cerdà estudou as condições de vida dos trabalhadores e atentou para a infraestrutura de saneamento. Seu plano é um marco na história da cidade e uma referência em urbanismo.

Barcelona também é reconhecida pela obra inconfundível de arquitetos como Antoni Gaudí,  Lluis Domènech i Montaner e Puig i Cadafalch, que, também no final do século XIX, lideraram o Modernismo Catalão.

De lá pra cá, Barcelona evolui como um centro de pesquisa, estudo, experimentação e tecnologia urbana. É destacada como smart city, foi eleita como Cidade do Futuro, pela FDI Intelligence, e tem atualmente um programa arrojado, com 68 medidas de natureza política e social, que a batiza como “Barcelona: Cidade Cuidadora”.